Facebook
Facebook
16 JUNE 2017

Copycat: Apropriação ou Plágio?

15.06.2017

 

João Correia de Sá
Vemos na moda um fluxo constante de inovação de produtos para tornar obsoletas as tendências antigas, em grande parte os grandes retalhistas foram causadores desse mesmo fluxo. Complicam-se as questões, os copycats tornam-se mais rápidos e cada vez mais idênticos às peças das grandes marcas, as coleções são apresentadas e as fábricas produzem knockoffs em dias e muitas vezes as cópias chegam ao mercado antes dos originais. Quais as consequências desta multiplicação e dos copycats?
 
Vetements x Urban Outfitters
Copycat, mímíca, apropriação, plágio. Os retalhistas como o Grupo Inditex (detentor de marcas como a Zara, Stradivarius, Pull and Bear, entre outras) ou até a sueca H&M vieram transformar a moda em algo rápido, construíndo a sua fama, a partir de cópias baratas de grandes marcas.
Contudo, o copycat ou plágio, já remonta a tempos mais antigos. Em 1930, Coco Chanel e Madeline Vionnet, processaram Suzanne Laneil. Quais seriam as consequências de um acto desses nos dias de hoje?
 
Vetements x Asos
Em ’30, um tribunal francês considerou Laneil culpada num caso que reconheceu os trabalhos de desenho das criadores Chanel e Vionnet como “obras de arte reais… com direito à mesma proteção concedida aos autores e detentores de direito autorais”.
No entanto, a proteção legal para o design de moda varia significativamente de país para país, por exemplo: os projetos de moda estão isentos de proteção de direitos autorais, reflectindo uma realidade complexa.
 
Balenciaga x Zara
Enquanto alguns definem os copycats como uma diluição do património da marca e consequentemente um decréscimo nas vendas, reduzindo assim os incentivos para inovar. Outros, nomeadamente as fashionistas e as fashion victims, acreditam que os copycats são na verdade, saudáveis para a indústria da moda, pois ajudam a manter as tendências em movimento e fazem chegar as griffes as massas.
 
Saint Laurent x Zara
O que poderão então os consumidores fazer para moderar esta apropriação excessiva dos copycats e com isso tornar a moda em algo mais sustentável e rentável? Deverão os grandes retalhistas sofrer algum tipo de penalização por estas formas de apropriação e plágio? Deverão as grandes marcas actuar sobre este tipo de reproduções não autorizadas?

https://espalhafactos.com/2017/06/15/copycat-apropriacao-ou-plagio/

Fonte:
Espalha Factos


« Voltar